Feedbacks em 6 passos

Vamos falar sobre uma estratégia muito simples, mas, extremamente eficaz de feedbacks.

Para falar sobre o feedback vamos imaginar um cenário, vamos imaginar que você é um gerente, ou dono de um negócio, e precisa dar um feedback pra um coordenador, o que está acontecendo este coordenador?

Ele está ele está agindo com os colaboradores dele de forma muito áspera, de forma muito agressiva, com uma comunicação muito forte, e você quer dar um feedback a respeito desse fato. E ao mesmo tempo, implantar junto com ele uma estratégia para que essa comunicação seja mais suave.

Vamos imaginar seis passos que se interligam basta você entender a linha de raciocínio.

Você vai perceber que é muito simples.

Primeiro passo – A primeira coisa que se faz, é tecer um elogio há alguma referência de identidade dessa pessoa,  Você pode começar dizendo “Você foi sempre algo sincero que tenha a ver com a pessoa em questão, por exemplo, se eu quero que ele se suavize a linguagem e a comunicação com a equipe eu posso dizer… Olha, você é uma pessoa muito flexível, e é por isso que precisamos ter essa conversa hoje…,  por que do ”flexível”?

Porque a flexibilidade como característica de identidade, vai me apoiar sobre a estratégia que eu vou dar para ele, então esse é o primeiro passo.

Segundo passo – Entre com uma recomendação, ao invés de falar, o que você está fazendo está errado porque quando se faz isso a pessoa entra na defensiva, e para tudo que se falar de agora em diante, sempre aparecerá uma desculpa. E como eu já exaltei no início que esta pessoa, é uma pessoa flexível, e mais, que isso é uma característica importante dela, eu poderia dizereu sei que em determinados momentos a gente precisa ser firme nos comandos, na nossa linguagem, e eu também sei, que se a pudermos desenvolver uma linguagem mais sutil, uma linguagem mais suave, nós também podemos conseguir agregar resultados melhores”, por isso esse nosso desenvolvimento, quando eu coloco dessa forma, em que nós vamos agregar algo, ao invés de dizer não, você não pode mais fazer isso o que eu faço, é tirar a pessoa dá defensiva, e a coloco numa posição em que ela pode perceber novas opções. Onde ela vai se tornar ainda mais flexível, e com isso vai facilitar a coordenação dela, e vai com certeza facilitar minha gestão.

Terceiro passo  – É  como nós vamos dar feedback, nós podemos sugerir a ela com três estratégias, nesse caso  suavizar a linguagem dela, exemplo: Digamos que o nome do nosso supervisor é João, poderíamos continuar nossa conversa dessa forma, “Olha quem sabe , você possa, usar palavras menos duras com os seus subordinados, até quem sabe, estudar um pouco a respeito, outro dia assisti um vídeo que fala especificamente sobre isso, vou te enviar para você assista, e claro tem uns livros bem interessantes, posso te recomendar um livro, para que você o leia, e dessa forma você pode se flexibilizar ainda mais para conseguir dar esse bom feedback, de forma bem sutil e bem mais suave, o que você acha disso?

Quarto passo – Agora entra a questão da motivação, qual é o motivo que ele tem para executar essas recomendações?

Imagine a seguinte situação João se a gente conseguir realmente agregar essa suavidade no seu feedback e na sua forma de conversar com os colaboradores, os nossos resultados tendem a subir, e quando eles subirem, nós podemos conversar a respeito de alguma premiação, tanto para você quanto para a sua equipe, desde que alcancemos os resultados que precisamos.

Quinto passo – E o que mais?

Imagine que realizando os resultados esperados com a flexibilização, mais todo esse novo repertório,  você vai perceber que os seus colaboradores vão trabalhar mais motivados, que os seus subordinados vão te respeitar mais, os seus colaboradores vão ter uma interação entre eles muito mais saudável, você vai perceber que o índice de afastamento por stress, e até mesmo as faltas injustificadas, cairão e muito…” Aqui eu estou dando para ele algumas referências do que se espera com essa mudança dele, o quinto passo é resultados esperados.

Sexto passo – Agora temos o comprometimento, pedimos ao “nosso” João que responda a três perguntas que são:

Quais são os primeiros passos que você vai dar em busca dessa nova flexibilidade, esse novo repertório, qual será o primeiro passo?

Quando ele será dado o primeiro passo? (aqui você o tira desse ponto, mostra que precisa causar o primeiro movimento)

Quando será nossa próxima reunião para conversarmos sobre o que está acontecendo durante esse processo de evolução?

Assim fechamos o ciclo de seis passos, resumindo:

Passo 1 – Elogio sincero

Passo 2 – Recomendação

Passo 3 – Dar o feedback e sugestões

Passo 4 – Motivação para a mudança

Passo 5 – O que mais?

Passo 6 – Chamada para a ação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *